segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Em um momento de necessidade


- A entrada? O chef recomendou foie-gras. Eu já falei com a importadora e eles não têm o Château Montus Cuvee Prestige da safra que você recomendou, querido. Eu sei que o sommelier insistiu, peça pra ele ligar pra lá e ver o que pode ser encontrado a tempo. Meu amor, o seu assessor pode esperar mais uns minutos, não vai morrer por causa disso e esse jantar está me deixando maluca. Quem é que nós vamos colocar ao lado do Senador? A Júlia? De jeito nenhum, ela é muito inconveniente... Não, eu não vou contratar um cerimonial, não confio nessa gente pra uma noite tão importante. É o futuro da nossa filha que está em jogo.

Lourdes quase não escutava a enxurrada de palavras da patroa, absorta que estava em seu drama particular. Assim que Dona Luciana desligou o telefone, falou entristecida:

- Dona Luciana, tenho que ir embora hoje para Jequié. Papai morreu ontem, mamãe está de cama. O Joílson me deixou semana passada e recebi uma ordem de despejo...
- Lourdes, você é uma ingrata! Não acredito que você vai me deixar na mão logo agora, que estou em um momento de necessidade!

5 comentários:

milu leite disse...

caraca, paulinho. essa dona Luciana merece um soco no figo!
não judia de nós assim, não. ui.

Ramiro disse...

É, Paulinho...as necessidades são subjetivas, Maslow poderia dizer: enquanto uns reclamam porque não alcançam o topo da pirâmide, outros seque satisfizeram a base dela.
Abração,
Ramiro

Judy disse...

Dona Luciana está com outro tipo de problema..mas prefiro nao comentar huahuahuahuahua
Bjao prof!

Bel disse...

Pobre Lourdes.
Triste é pensar muitas vezes é assim mesmo que as coisas funcionam. Chuinf.

FlaM disse...

Pobre luciana! Que situação difícil!
bj, f

 
design by suckmylolly.com