sábado, 6 de setembro de 2008

Pecados contemporâneos – parte III de III


Apontados todos os tratamentos salvadores contra a gordura, a feiúra e a velhice, se a avareza não impediu de pagar por eles e você permanece pecador, é sinal de que também comete o pecado mais grave: a pobreza! Tirando o Reino dos Céus e as esmolas oficiais que sustentam a demagogia dos governantes, pobre não tem vez em lugar nenhum. Como já disse meu amigo e colega blogueiro, Professor Sandro Sell, a respeito do dinheiro: “(...) ele serve para pôr os outros a seu dispor (mesmo quando eles não são seus amigos, não lhe amam, nem acham você o cara). Dinheiro é pra comprar pessoas, seja a criancinha chinesa que neste momento está colando meu futuro tênis da Nike, seja aquela mocinha simpática e acenante de minissaia na esquina. Dinheiro compra a compreensão do psicólogo, a astúcia do advogado, os dedos do ginecologista e o pinto da granja.

Embora este fato social possa provocar ira, se você for rico, jovem, belo e esbelto, pode se envaidecer: despertará inveja, luxúria e cobiça. Eu ia até escrever mais a respeito, mas bateu preguiça. Assim sendo, este pecador se despede. Até a próxima postagem!

4 comentários:

Bel disse...

Preciso ler o 1 e o 2 antes de comentar esse! rs
Mas passei pra dizer que tenho algo a lhe mostrar, apareça!

milu leite disse...

a mudança radical no visu do blog foi uma boa idéia.
gostei da roupa nova.
bjo

Rafael disse...

Pecados... além do fato de este ter sido o maior de todos os golpes de marketing conhecidos pelo homem, o que se diz ser pecado parece ser exatamente o que faz as pessoas serem bem-sucedidas na disputa biológica da espécie: os mais adaptados.

Adaptou, pecou!

Seria outra excelente visão de marketing? Quer dizer, todos querem ser bem adaptados... seria um ótimo lugar para se colocar como pecado e fazer as pessoas sentirem culpa por tentarem ser bem sucedidadas.

Por outro lado, colocar um ideal impossível de ser atingido como o bem sucedido também é cruel porém um excelente marketing.

hmmm

Espaço para outro filme: O Marketeiro do Diabo! rs

Paulo César Nascimento disse...

Bel, obrigado pelo template!

Milu, o mérito é da Bel. :-)

Rafael, a idéia é exatamente essa: quem controla os prazeres, controla a vida. Em tempo: "marketeiro do Diabo" não é pleonasmo? :P

Abraços

 
design by suckmylolly.com