segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Momento mecenas


Sabendo da dificuldade que os poetas marginais brasileiros encontram para publicar seus trabalhos, promovi este final de semana o "I Concurso Internacional de Poesia Escatológica", aberto a escritores de qualquer nacionalidade residentes no meu apartamento. O vencedor, conforme o edital afixado no mural do meu escritório, terá seu poema publicado no meu blog, junto com uma análise literária do presidente da comissão (eu mesmo). Como prêmios adicionais, ganhará uma casquinha de sorvete misto de chocolate e baunilha no fast-food de sua preferência, um copinho de água mineral sem gás e um vale-livro no valor de 50 reais.

Poema vencedor:

"A verdade sobre a verdade" (Paulo César Nascimento - Brasil)

A verdade está na cara
Como uma freada brusca
Em uma calcinha clara

Análise: o autor rompe corajosamente com as tendências estéticas modernistas, bem como com a ausência de paradigmas no pós-modernismo, retomando a métrica e a rima como forma de ironia perante os falsos moralismos e os verdadeiros preconceitos. Lança um protesto filosófico diante da metafísica, tendo sua obra um forte caráter existencial, com pitadas de zen-budismo. Nota-se em seu trabalho a presença forte da mulher na contemporaneidade (calcinha clara), bem como as tentativas masculinas (frustradas) de compreender um universo essencialmente simbólico a partir de uma perspectiva semiótica. Com extraordinário poder de síntese, o autor apresenta a verdade fundamental da poesia escatológica: a merda é uma merda é uma merda. (P.C.N.)

Agora vocês me dão licença, que eu vou descontar meu vale-livro.

7 comentários:

Pepper Popps disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!
Amei!!! Não é todo dia que vemos falar sobre calcinhas e freadas rs.
Beijossss!

Kaique L. Andrade disse...

Muito profundo esse seu poema, você mereceu vencer esse concurso!
Mais o melhor mesmo foi a analise que você fez ali no final... meu, serio, ficou uma coisa muito complexa. Parabéns! huahuauhhuaauhauahuaa

milu leite disse...

ahahah! vc é meu ídolo maior.
abre o concurso aí, vai. nem bem começou e o vencedor já apareceu?
quem sabe alguém faz uma ode à cueca?
bjim

FlaM disse...

Cara eu preciso te apresentar o danilo. Estarias perdido...
acho que ele tinha uns 6 anos quando escreveu;
o pum é uma reação magnífica
que dá no corpo da gente

putz esqueci o resto, tá guardado em algum lugar, mas não é poético ver o pum como uma "reação magnífica". E isso é vocabulário de "rapaz pequeno"?
bj, f

Sally disse...

Só venceu porque Rogerio Skylab não participou...

Paulo César Nascimento disse...

Pepper: ainda bem, calcinhas freadas são só para momentos singulares. Bjs

Kaique: a análise literária selvagem é um campo que requer conhecimento e muita cara-de-pau. Obrigado e um abraço.

Milu: o primeiro já encerrou... só se abrirmos o segundo. Obrigado e bjs!

Flávia: o Danilo é um gênio e você fica insistindo pra ele lavar louça... Que desperdício! Bjs

Sally: o Rogério Skylab está em outro patamar, já não precisa provar seu talento em poesia escatológica pra ninguém. Além disso, o edital era muito claro quanto a residir em meu apartamento. No próximo eu o convido para presidir a mesa. Bjs

Alline disse...

Escatológico e hilário.
Paulinho, és único!

Beijo, beijo, beijo!!!!!

 
design by suckmylolly.com