sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Sonho de uma noite de verão


Não sei se foi o almoço em família ou ter lido o livro "Budapeste" (Chico Buarque) de cabo a rabo, ou ainda ter saído com um camarada para comer comida mexicana, beber cerveja com limão e sal e filosofar no botequim. O fato é que esqueci completamente de postar ontem e, de quebra, tive um sonho surreal: eu estava jogando no Flamengo em uma partida contra o Vasco em um campo sem torcida. As escalações não eram exatamente as atuais. Meu primeiro lance foi a cobrança de um escanteio pela lateral direita, onde estava jogando. Cobrei com o pé esquerdo (sou ambidestro) e o Romário - mais jovem e jogando pelo Flamengo - marcou de cabeça. Fui cumprimentá-lo e ele pediu para eu segurar o jogo. Sobrou uma bola pra mim e eu rifei para a intermediária do Vasco, que devolveu e o Edmundo (no Vasco) deu um toque estranho, fazendo um gol meio sem querer. O Fábio Luciano ficou bravo comigo e passou a me boicotar no jogo, cobrando um lateral nas minhas costas quando eu subia sozinho pela ala direita. Mesmo assim, sobrou uma bola que eu lancei no pé do nosso atacante, lá na ponta esquerda. Acho que era o Diego Tardelli ou o Leonardo Moura jogando invertido. Ele escorregou na hora de concluir e o Obina perdeu. Aí eu falei pro Fábio Luciano: "Tá vendo, eu dei a bola no pé dele, deixei na cara do gol!" A vantagem do empate era do Vasco. O árbitro Renato Marsiglia encerrou o jogo antes do tempo e fui até ele conversar. Reclamei sem me exaltar e ele concordou que tinha terminado o jogo antes, mas pediu para eu não comentar. Disse que tinha sido um bom jogo e eu concordei, acordando em seguida.

É isso, leitores e leitoras. Enquanto gente normal sonha que está comendo a Angelina Jolie, que está de pijamas no trabalho ou que vai chegar atrasado em uma prova, eu sonho estas coisas. Nas férias se agrava.

12 comentários:

Didi Iashin disse...

Você se lembra quem eram os goleiros?

Paulo César Nascimento disse...

Didi: não lembro, mas não marcaram presença no sonho. Abç

milu leite disse...

querido! eu já sonhei que tocava com o bono vox. estamos no mesmo barco. será um problema de ego?
a novidade pra mim é saber que vc curte futebol...

bom ano-novo!
mil beijos

Paulo César Nascimento disse...

Milu: eu gosto de vinho, museus, literatura, culinária e de crianças, mas também gosto de cerveja, botecos, sinuca, futebol e mulher pelada (ao vivo e em fotos). Não me enquadro muito nos estereótipos. Não de gosto é de multidões, engarrafamentos e carnaval. Bjs

FlaM disse...

Muito metaf'orico... muito simbólico...
Pois eu achei muito revelador, quase erótico. Estou enrubrecida.
"cobrando um lateral nas minhas costas quando eu subia sozinho pela ala direita". Isso sem falar no "toque estranho" do edmundo!
Mas nao estou fazendo nenhuma insinuação de homossexulidade, por favor! É mais profundo! (ops) estou só revelando o erotismo indisfarçado do teu sonho. Metáforas...
Agora, cá entre nós A-DO-RO o Edmundo! Adoraria um toque estranho não metafórico...
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
bj, f

Paulo César Nascimento disse...

Flávia: ainda bem que eu tava no Flamengo... se fosse no Fluminense ou no São Paulo, aí mesmo que a viadagem correria solta nessa tua interpretação. rs
O que o Freud não explicou é o que a gente faz quando interpreta sonho cujo conteúdo manifesto é erótico. Uma penetração significa o desejo oculto de fazer um gol com bola e tudo? :P

Bjs

milu leite disse...

não precisava avisar quue vc não se enquadra, paulinho. a gente percebe logo de cara.
quanto ao gol com bola e toda, só se não sanfonar...
bjim

Pepper Popps disse...

Tem certos sonhos que parecem tão reais que quando acordamos ficamos completamente confusos!
Mas sonhar que jogava no Flamengo foi a primeira vez que vi alguém contar rs.
Beijos pra vc querido Paulo e Feliz Ano Novo!!!

Sally disse...

Paulo, adoraria ter um sonho coerente como esse, um sonho lógico e plausível. Meus sonhos são desorganizados e confusos.

Paulo César Nascimento disse...

Milu: quanto a sanfonar, penso nas palavras de Che Guevara, com uma ligeira adaptação. "Há que endurecer, sem perder a ternura jamais" :P
Bjs

Pepper: tava com saudades dos seus comentários. Feliz ano novo! Bjs

Sally: teve uma parte anterior mais confusa, esse fim que foi mais concatenado. Porém, ao contar o causo, arredondamos um pouco. Bjs

silvia disse...

Pensei que só eu tinha esses sonhos malucos. Uma vez sonhei que estava andando numa praia linda, de mãos dadas com o Tim Maia, e ele cantando (Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia...) com aquela voz doce dele. Imagine, Tim Maia já estava morto há anos quando tive esse sonho. Também jantei com Frank Sinatra num local que parecia Las Vegas, um cassino, cheio daquela gente jogando... ha ha ha.... Vai entender!.

Paulo César Nascimento disse...

Sílvia: adorei os seus sonhos! Abraço

 
design by suckmylolly.com