domingo, 21 de dezembro de 2008

Topada


Com o desejo
Na intensidade
De uma topada
Contemplo mudo
Tua cidade
Já sitiada

Topo o ensejo
Da liberdade
Assim desfrutada
E não me iludo
Sinceridade
É só jogada

Quando te vejo
Na intimidade
Arrebatada
Eu topo tudo
toda verdade
No tudo ou nada

7 comentários:

FlaM disse...

Uau...
Topas?

Alline disse...

Um homem que ousa... Gostei!
Beijão!

Paulo César Nascimento disse...

Flávia: Esse foi o primeiro título que pensei: "Topas?"

Alline: um homem que não ousa, não ousa ser homem. Bjs

milu leite disse...

não sabia que julio verne era afrodisíaco...

Drama Queen disse...

Adorei o suficiente para não saber o que comentar. Na verdade, quis que fosse meu.

Paulo César Nascimento disse...

Milu: afrodisíacas são as casquinhas do amendoim. ;-) Bjs

Drama Queen: esse é o maior elogio que um texto pode receber, sempre. Obrigado! Bjs

Sally disse...

Sou um pouco mais egoísta, não quis que fosse meu e sim que fosse PARA mim... ahhhh... vaidade... ela ainda me mata!

 
design by suckmylolly.com