quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Soco no figo


Comecei este blog sem dar maiores explicações aos leitores, até porque os poucos que o visitavam eram meus conhecidos e sabiam do que se tratava. Porém, recentemente, graças à generosidade da Rosana Hermann, do blog Querido Leitor, o número de acessos aumentou bastante e o blog passou a receber visitantes de vários cantos do mundo. Assim sendo, resolvi contar um pouco de como surgiu a idéia de criá-lo.

Sempre gostei muito de ler. Quando menino, fiquei impressionado com a capacidade de versejar de Vinícius de Moraes e do Chico Buarque e resolvi me aventurar pelo caminho das rimas. Mais tarde, os textos de Fernando Sabino, Millôr Fernandes e Luís Fernando Veríssimo me despertaram o interesse por contos e crônicas com pitadas de humor e crítica. Aos dez anos já tinha textos publicados em jornaizinhos do colégio, além de ter sido um dos premiados em um importante concurso literário infanto-juvenil promovido pelo Círculo do Livro. Ganhei uma bicicleta, uma máquina fotográfica, algum dinheiro em direitos autorais e uma viagem a São Paulo para receber a premiação e os cumprimentos do Millôr, presidente da comissão. Outro aspecto divertido foi sentir que eu estava pagando a passagem e a estadia para o meu pai, sendo a primeira vez que paguei algo com o fruto do meu trabalho. Minhas redações ficaram mais populares no colégio, mas a ambição de publicar ficou adormecida por um bom tempo.

Quando morei em Porto Alegre para cursar o Mestrado, fiz amizade com os escritores gaúchos Cláudio Santana e Clarice Muller e comecei a encontrar o livro com o conto premiado nos sebos da cidade. Ambos os fatores me levaram a ter vontade de voltar a escrever, agora para publicar. A vontade ficou incubada até 2000, quando iniciei uma série de contos com temas transgressores, porem uma abordagem mais leve, no livro "Sutis Indecências e outros encantamentos". Consegui publicá-lo em 2003 pela Editora Momento Atual, de Florianópolis, graças à receptividade da Laura e do Nilton – os editores - que no período estavam testando a possibilidade de se inserir também neste segmento do mercado editorial.

Ao final de 2005, já estava com o segundo livro de contos pronto, mas a editora percebeu as dificuldades de inserção no restrito mercado de literatura brasileira e resolvi procurar outras casas editoriais. Ao fim de 2006, descobri que, com honrosas exceções, as grandes editoras têm cartas padronizadas de recusa em tempo recorde para originais não solicitados. Apenas três editoras conduziram o processo de avaliação até fases avançadas. Apesar dos pareceres favoráveis dos avaliadores responsáveis pela qualidade literária, a comissão normalmente tem uma segunda etapa do ponto de vista mercadológico e é aí que a coisa aperta. Então, para publicarem, ou você é alguém conhecido (um Casseta, um filho de escritor famoso, um mago da auto-ajuda) ou é alguém reconhecido pela crítica. Percebi então que precisava de duas coisas: um prêmio e uma vitrine. Em 2007, obtive um prêmio no exterior, em um concurso literário com uma comissão composta por professores de grandes universidades portuguesas. Isto foi muito importante, pois assegurou alguma publicidade, entrevista na TV, matéria em jornal e um aval importante para usar como credencial. Quanto à vitrine, percebi que a blogosfera seria o espaço de divulgação com a melhor relação benefício/custo. Porém, escrever demanda tempo e eu precisava organizar outros aspectos da minha vida para poder me lançar a este empreendimento sem acabar como fogo de palha. Isto também foi providenciado. Resolvi então começar pelo conceito. Queria publicar contos, ensaios, poemas e dialogar com os leitores. Tudo muito amplo, como a vida. Consultores de marketing diriam: falta foco. Porém, achei melhor apostar na variedade e falar da vida através de minhas lentes. Acho a realidade contundente e para lidar com os socos que ela nos dá, tenho como escudos o humor, a poesia e a crítica. Precisava de um nome que despertasse a curiosidade, então a troca de fígado por figo dava o toque de humor que atenuava o soco, pelo menos em minha imaginação. Logo que comecei, ganhei de presente da Bel este template, o qual deu um aspecto mais clean e profissional ao blog. Já fiz algumas amizades através dele e espero que ele cumpra também o papel de divulgar meus livros, sejam eles bancados por editoras, sejam independentes.

7 comentários:

milu leite disse...

explicação muito bem-vinda, querido.
e, claro, uma gostosura de ler.
faltou dizer (a modéstia o impede) que os teus contos são muito bons.
PESSOAL, RECOMENDO! li e adorei.
quero dizer agora que conheci esta pessoa num show inesquecível, tomado de assalto por um personagem pronto (um ser odioso, é verdade) que, como disse o paulinho, é tão pronto que é inverossímel.
beijos! teu blog é o máximo.

Alline disse...

Torço por ti, pelo reconhecimento do teu trabalho. Tu escreves, e bem, seu safado! rsrs

Ei, não vai demorar pra eu começar a te incomodar com aquelas dicas, o caminho das pedras. Vou atrás do Calderaro também. Agora tô mais perto do fim. Ai, que frio na barriga!
Tô esperando as fotos...
Beeeijo!

Bel disse...

Fui mencionada! fui mencionada! uhuuuu hahahahahahah

Imagino que essa essa estrada de escritor não seja das mais suaves pra se caminhar, os obstáculos devem ser enormes. Eu podia te desejar sorte, mas acredito que essa coisa que chamam de sorte na maioria das vezes se constrói com um bom trabalho, competência e uma pitada de oportunidade. Competência e bom trabalho você tem, então desejo que tenha a oportunidade de estar no lugar certo, no momento certo.

Quando seu livro virar um best seller, eu volto aqui pra exibir meus créditos no template do blog pra todos os meus amigos! hahahaha

Bjos

silvia dutra disse...

Como dizem: o que é do homem o bicho não come.
Que bom que você resolveu seguir seu coração e se organizar pra escrever. E espero que por muitos e muitos anos. Seu estilo é show! Parabéns.

Cécil disse...

Por sorte ou destino sou uma das agracidas em ter um exemplar de "Sutis Indecncias" devidamente autografado pelo autor... Livro este bastante inspirador...(no sentindo mais amplo da palavra)

Por este motivo, Paulinho, estou ansiosa pelo próximo...já coloca meu nome na lista de espera...

Bjokas

Paulo César Nascimento disse...

Milu: muito obrigado! Complemento dizendo que a Milu é uma grande escritora, com livro premiado no Concurso Jabuti (o mais renomado do país), além de compositora e uma pessoa maravilhosa. Quanto à personagem pronta que vimos no show, o dia em que realmente se enxergar no espelho, voltará para a ficção de onde nunca deveria ter saído. Bjs

Alline: obrigado! Uma foto eu já mandei, depois eu digitalizo outras, conforme sejam adequadas aos fins previstos. Bjs

Bel: além de mencionada, você seria bastante elogiada, mas da outra vez que fiz isso você teve uma crise de timidez... rs Obrigado por tudo! Já ofereci o livro para a próxima promoção da CF, a Zin topou (ela e a Penélope já leram, estou aguardando seu endereço para enviar o seu exemplar autografado). Bjs

Silvia: muito obrigado! Bjs

Cecília: obrogado! Pode deixar, o seu está reservado. Bjs

FlaM disse...

O que eu mais gostei do texto é que eu já sabia tudo, tudinho o que está nele!
Me senti especial! Sintoma da recusa ~a superficialidade. Falamos das coisas importantes além de bobagens, né, Paulinho!
Agora sobre a falta de foco, eu diria que quem critica isso nunca vai dizer aquela frase: atirei no que vi, acertei no que não vi. Focar algumas coisas sim, mas não deixar de atirar prá tudo quanto é lado! Foco demais encurta!
bjs, f

 
design by suckmylolly.com