sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Tietagem


Gosto muito de música. Embora nunca tenha tocado profissionalmente, já dei umas canjas por aí sem passar muita vergonha. Também já dei outras canjas passando muita vergonha, mas felizmente foram poucas. Aprendi flauta doce no colégio aos dez anos, depois comecei o aprendizado de violão aos quatorze como autodidata. Sempre tive amigos músicos que contribuíram com dicas preciosas, corrigiram defeitos na técnica e fizeram as críticas necessárias. Ouço muita música, de quase tudo quanto é gênero. No início dos anos 80, surgiu uma dupla com um som interessante, fazendo releituras da música tradicional do Rio Grande do Sul com incursões pelo pop. Enfim, é difícil e bobo rotular o som deles, mas serve para dar uma pista. Kleiton & Kledir, ex-integrantes dos “Almôndegas”, estouraram no país, foram gravados por outros intérpretes, fizeram temas de novelas, até que saíram temporariamente de cena. Ouvi o primeiro disco da dupla até gastar, o segundo também. Fui a alguns shows e conheci também o trabalho do irmão deles, Vitor. Virei fã de carteirinha dos Ramil.

Às segundas-feiras, participo de um grupo de canto que não é exatamente uma aula, um coral ou qualquer coisa classificável. Um excelente pianista coordena seis pessoas “fora da casinha” em cantorias, batuques, improvisos e piadas. Para terem idéia, nossa criação coletiva mais pitoresca foi a opereta “La muerte de la cucaracha cantante”, que mistura a marcha fúnebre, “La cucaracha”, elementos de música húngara e uma pitada de Fito Paez. Também cantamos coisas sérias e procuramos desenvolver a percepção musical. Além disso, o grupo recebe visitantes, entre instrumentistas, cantores e amigos curiosos. Há um bom tempo, temos o privilégio de contar com a participação do Gil, que, além de ser um cara muito legal, foi baterista dos Almôndegas. Graças a ele, esta segunda-feira, o grupo recebeu a ilustre visita do Kleiton, que cantou e tocou conosco algumas músicas. Foi muito legal cantar e tocar com um ídolo da minha adolescência, além de ter emprestado a ele meu violão hi-tech. Havia muita gente presente e não deu pra exagerar na tietagem ou ficar enchendo (demais) o saco do cara, mas, dentro do possível, o evento foi registrado. Ele me tirou umas dúvidas quanto à execução de duas músicas deles, eu dei um exemplar do meu livro de presente. Fora isso, rolaram outras canjas fenomenais: jazz, blues, mpb... O Luís Fernando Veríssimo tinha razão: o melhor jeito de ver os bons músicos da cidade é tocar com eles.

Em tempo: Kleiton & Kledir estão com um novo trabalho em vias de sair do forno. Confiram, eu recomendo.

12 comentários:

silvia dutra disse...

Ai, que inveja. Pena que moro tão longe, adoraria participar desse seu grupo de canto. Adoro Kleiton e Kledir, até hoje ouço coisas deles ( ...amo tua voz e tua cor, e teu jeito de fazer amor) lindo lindo demais.
Que bom saber que eles continuam produzindo, vou procurar o novo trabalho quando sair.
Bjks.

milu leite disse...

eu estava lá! eu estava lá! uauaua
uhuuuuu.
paulinho, vc é meu herói! pena que ninguém registrou a minha performance... aliás, possível também graças à sua participação no violão.
beijos
viva la cucaracha!no no, muerte a las cucarachas!!

magda disse...

Paulinho,eu também acho o nosso grupo o máximo e o último encontro com a presença do Kleiton foi mágico em todos os seus momentos .Ele também foi meu ídolo da adolescência com os almôndegas, grupo que eu assistia ao vivo na época da fauldade.Foi um privilégio cantar com ele acompanhando no bongô e cantarolando junto , mas ver vocês dois cantando junto uma música que tu sempre cantavas na aula, me comoveu.
O Paulinho,pra quem não sabe tem um estilo 'cool' de cantar que eu adoro!
beijo e até segunda.

Danielle Uchôa disse...

Você conseguiu ser autodidata no violão? Confesso que não consegui. Acho que meus dedos são pequenos demais e gordinhos demais. Eles engolem as cordas, rs.

FlaM disse...

Hehe e eu tb estava lá e sabia tb desses detalhes tao pequenos de vc. Sou uma especialista em Paulinho! Sobre o conto que mais gostei, acho que é o primeiro!
Mas sobre esse post o que eu mais gostei foi a foto! Que enquadramento. Qu ângulo!Que sensibilidade para captar o momento! a doaçao do ídolo e a adoração do admirador!
Uma foto artística! Pena vc nao dar o credito de tão brilhante profissional...
bj, f

Paulo César Nascimento disse...

Silvia: o Kleiton deu uma prévia, acho que o novo trabalho será bom. Quando pintar, te aviso. Bjs

Milu: se eu disser que você é minha heroína, vão pensar que eu sou dependente químico... mas a admiração é recíproca! Essa coisa de me pedir pra tocar sem ensaiar é um modo sutil de pedir mais ensaios? :P
Muerte a las cucarachas cantantes!
Bjs

Magda: você cantou muito bem! A noite foi fantástica, depois temos que ver com a Carla se o filme ficou legal. Não falei com o Gil depois disso, mas acho que o Kleiton curtiu. Bjs

Danielle: precisa ser meio obstinado pra aprender sozinho, porque os primeiros meses são um fracasso total. Olha, os dedos do Raphael Rabello e do Andrés Segóvia eram grossos, os do Yamandu Costa também são. As minhas mãos são bem pequenas (pode ver na foto). Isso pode até dificultar um pouco, mas se resolve em grande medida. Acho que é mais uma questão de paciência mesmo. Bjs

Paulo César Nascimento disse...

Flávia: realmente, essa foto foi um momento de genialidade da fotógrafa, que captou exatamente o que o post queria transmitir. E nem precisei dizer nada sobre o que queria, pois ela é especialista em Paulinho.

Obrigado pela foto, Flávia (a fotógrafa)!

Bjs

FlaM disse...

hahahah
agora o (super) ego aqui gostou!
Mas olha, eu falei com o Gil! e o Kleiton adorou sim! E acha que tem que gravar o som das segundas! Aguardem o CD nas melhores lojas do ramo!
bj, f

Bel disse...

"Toda" minha habilitade musical se resume em tocar "noite feliz" na flauta doce, aprendi quando criança, hahah

Fabi disse...

Agora me surpreendi Kleiton e Kledir?
Achei que fosse a única criatura de Floripa que apreciasse! Bom sou suspeita minha música é "Deu pra ti
Baixo astral Vou pra Porto Alegre
Tchau! Quando eu ando assim meio down
Vou pra Porto e bah! Tri legal...."

Paulo César Nascimento disse...

Fabi: aprecio, toco e canto.
"Coisas de magia, sei lá...
Paralelo trinta"
Bjs

Paulo César Nascimento disse...

Bel: no próximo Natal eu quero ouvir. :P
Bjs

Flávia: que bom, esse papo do CD eu acho meio difícil de rolar, mas elogio sempre vem bem. :-)
Bjs

 
design by suckmylolly.com