segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Noção de limite


Quebraram a cara do Berlusconi, como vocês bem sabem. Dizem que Tartaglia, o sujeito que fez isso, tem histórico de  distúrbios mentais. Se não tiver, é muito burro ou sem noção de limite. Se tivesse jogado uma torta ou mesmo um  balão cheio de urina, teria protestado da mesma forma e apenas exposto o premiê ao ridículo. Mas não, ao quebrar a  cara de um idoso, contribuiu para despertar a compaixão das pessoas em relação ao político. Se o Pinochet, que  cometeu atrocidades, ficou menos Pinochet depois de velho – com direito a cuidados com sua saúde em prisão  domiciliar, quando as famílias das vítimas preferiam um tratamento mais isonômico – dava pra saber que o tiro sairia  pela culatra. Minha intuição diz que essa história vai passar, deixar de ser notícia, depois o Tartaglia vai ter uma  conversa com os peixinhos, calçando sapatos de concreto.

4 comentários:

Rafael disse...

Socar a Camorra: not a good ideia!

milu leite disse...

eu não fiquei com nenhuma pena do "idoso".
bjo

Alline disse...

Acho que o moço não batia bem da cabeça, ou tava muito puto com alguma coisa. Mas juro, assim que vi o Berlusca na TV babando sangue me lembrei de ti. Foi falar no homem... rs

Beeeijo, Paulinho!

Paulo César Nascimento disse...

Rafa:
Dá até slogan: "Camorra: soque e morra." Abs

Milu: a popularidade dele subiu após o incidente. Minhas profecias andam acuradas. Bjs

Alline: nesses casos eu prefiro o louco da piada, que é louco, mas não é burro. Bjs

 
design by suckmylolly.com