domingo, 10 de janeiro de 2010

Do enriquecimento súbito


Fiquei com pena do senhor que ganhou a mega-sena da virada, pois está claro que ele não fazia a menor idéia dos riscos que a riqueza encerra. Quem é rico desde jovem, sabe que tem que gastar muito dinheiro com segurança, que terá que administrar uma porção de gente gananciosa com o olho crescendo pra cima do que é dele, e por aí vai. Isto me lembra uma comédia com o Brendan Fraser e a Elizabeth Hurley intitulada Bedazzled, em que todos os pedidos de um jovem infeliz ao demônio (na verdade a uma bela diabinha) resultavam em algum inconveniente extremamente desagradável. Estas mudanças abruptas de condição de vida, sejam financeiras ou de outra ordem, geralmente provocam crises. Um homem simples, que supostamente não tem noção do que setenta e poucos milhões de reais podem pagar, dificilmente terá condições de administrar tal fortuna e provavelmente será furtado ou roubado, se não morto, como outro ganhador que o antecedeu. Ser milionário afasta o homem das agruras da pobreza, mas não esgota os problemas da vida. Fiquei também com inveja, é claro, pois tenho a fantasia de que lidaria melhor com esse tipo de adaptação. Porém, não há garantia alguma. Enquanto isso, vai-se adotando o ditado dos ratinhos, de que é melhor ser magro no mato do que gordo na barriga do gato.

2 comentários:

Drama disse...

Vão surgir tantos novos "amigos" para ele, coitado...

Ah, não sabia que o anterior tinha morrido. Que sad.

Paulo César Nascimento disse...

Drama: não foi o imediatamente anterior, mas outro. É triste mesmo.

 
design by suckmylolly.com