sábado, 13 de março de 2010

Sexting e cyberbullying

Hoje em dia, a molecada começou a trocar fotos digitais sem roupa como uma nova modalidade de prática sexual. Os americanos passaram a chamar esta atividade de sexting. Até aí, tudo bem, não teria nada contra se não ocorresse a derivação do sexting para outra prática: o cyberbullying, que consiste em desmoralizar, humilhar, torturar, chantagear ou qualquer outra atividade mau-caráter que os nossos pimpolhos costumavam praticar na escola, porém transferida para o ambiente virtual. Se o bullying comum já é um inferno para quem o sofre, o cyberbullying tem um efeito mais devastador, pois em nenhum lugar onde se tenha acesso à internet você estará livre dos seus efeitos. Nos anos 80, um adolescente do meu colégio teve o azar de ter uma diarréia e se borrar todo antes de chegar ao banheiro. Faltou às aulas durante uma semana, depois voltou e sofreu todo o tipo de brincadeira  desagradável, ao ponto de ter de trocar de escola. Quando descobriram para onde ele tinha se transferido, os amados coleguinhas fizeram cartazes e foram até a outra escola entoar cantos de "Fulaninho cagão!" Ou seja, ser escroto não é uma característica do adolescente contemporâneo, mas transcende as épocas e faixas etárias. Se fosse hoje, o Fulaninho poderia se transferir para uma escola no Japão e ainda assim seria refém, com a frase "Fulaninho Cagão" traduzida online e colada na página do colégio, plantada por um cracker. A lei e seus operadores ainda tentam correr atrás, mas a tecnologia avança mais rápido.

Aí fica a pergunta: por que as pessoas se deixam fotografar (ou elas próprias se fotografam) em poses comprometedoras e enviam estas imagens a alguém que mal conhecem? Na minha opinião, isso se dá por uma mistura de vaidade e imaturidade. Hoje em dia, as referências de fama e beleza aparecem nuas ou seminuas em revistas, filmes e sites. A criaturinha em formação, olhando no espelho e reconhecendo a exuberância que a natureza lhe está  oferecendo, resolve ter seus quinze minutos de símbolo sexual, capricha na depilação, pega o seu celular moderninho e ultra-equipado, pinta os olhos, faz biquinho na frente do espelho e voilá. Ou então a criatura mais crescidinha vai até o motel com seu namorado ou amante e se transforma em atriz pornô para que ele fotografe. Acorde, querida! O cara está lhe vendo ao vivo, pra quê quer foto? É pra mostrar a mais alguém, não se iluda. Falo assim no feminino porque até agora não vi nenhum rapaz reclamar de danos morais por aparecer nu na internet, mas a lógica vale para eles também. Então fica a dica: sexting pode levar ao cyberbullying. Não seja bobo(a).

4 comentários:

FlaM disse...

putz! era para caprichar na depilação?! ferrou...

Alline disse...

Eu não sei o que fala mais alto nesses casos: a ingenuidade ou a vontade de se exibir.

Bjs

Raphael Rocha Lopes disse...

Paulo, a questão é realmente muito séria e, como vc bem falou, os operadores do Direito estão desesperadamente correndo atrás de soluções. Mas perdem, por razoável distância, ainda, dos operadores tecnológicos.
Tenho visto, na minha experiência profissional, o quanto a imagem da pessoa pode ser devassada por conta de uma simples brincadeira. Pior ainda quando são feitas montagens - a vítima dificilmente vai convencer quem já viu que não é ela naquela foto. Sem contar que o universo atingido é muito maior do que o universo da própria vítima. Conseguimos alguns bons resultados, mas ainda insuficientes para quem sofre.

Se alguém morre injustamente, sofremos muito, mas sabemos que a morte viria mais cedo ou mais tarde. Se temos a honra vilipendiada, morreremos e ela continuará manchada eternamente.

Paulo César Nascimento disse...

Flávia: era... mas sempre tem lugar para a Cláudia Ohana. Bjs

Alline: eu acho que a vontade de se exibir fala uns poucos decibéis mais alto. Bem poucos. Bjs

Raphael: realmente a coisa anda complicada, pq fiscalizar é muito difícil. Além disso, tentar encaixar práticas muito recentes em tipos penais não tão novos assim acaba gerando alguns absurdos, como processar a autora/modelo por produção de pornografia infanto-juvenil. Abs

 
design by suckmylolly.com