segunda-feira, 7 de junho de 2010

Ora, bolas!

Ainda lembro da minha adolescência, quando experimentei um violão fabricado por um Luthier e achei maravilhoso, porém o dono do instrumento era capaz de extrair coisas melhores de um violão Tonante do que eu de seu violão artesanal - e olhe que o Tonante em um acampamento provavelmente faria mais sucesso como lenha para a fogueira do que para acompanhar a cantoria. O pessoal tem reclamado da bola da copa, que deve ser leve demais mesmo. Só quem é patrocinado pela empresa que a produziu a está defendendo publicamente. Concordo que sempre é melhor trabalhar com bons instrumentos, porém já houve tempos em que isso era o de menos. As bolas de couro, quando chovia, ficavam encharcadas, pesadas e escorregadias. A molecada jogava futebol na rua com bola de meia, latinha de cerveja, tampinha de garrafa, laranja, o que estivesse disponível.  Por isso, quando a bola era um pouquinho melhor, os garotos faziam com ela coisas do arco da velha. Hoje em dia, que desde pequenos os jogadores passam mais tempo na preparação física do que com a bola nos pés, uma pequena mudança já causa esse alvoroço, como se justificasse uma possível derrota. A bola será ruim para todos e, até onde se sabe, ninguém teve mais tempo que os outros para se adaptar a ela.  Estão é dando muita bola para a bola.

4 comentários:

Alline disse...

Vai que quando perderem um gol vão botar a culpa na bola... só espera. ;)

Beeeeeeeijo!!

Murilo disse...

Hehehe
Boa, professor! A partir de agora é esperar pela Copa, e pelas desculpas de cada time (ou jogador) perdedor...

Abraço

milu leite disse...

pois é, a bola. andqa cada vez mais difícil saberem o que fazer com ela em campo, então a chamam de magrela!
bjim

Anônimo disse...

Jabulaaaaaaaannnnniiiiiii

 
design by suckmylolly.com