segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Maomé e as múmias

Assim como há grávidas que acordam com desejo de comer pão de milho com geleia de jenipapo, uma noite dessas me bateu desejo de ver egípcias peladas - sabe-se lá por que. Fui no Google imagens e descobri a moça que causou furor no Egito (e no mundo afora), desafiando a cultura local e protestando contra a repressão. Isso é pra gente ver que contexto é tudo, porque aqui no mundo "pós-medieval" os significados de se expor nua em blog passam muito longe do desafio às autoridades. É por isso que eu tenho alguma tolerância com o péssimo cinema brasileiro dos anos de ditadura, com suas pornochanchadas de gosto para lá de duvidoso. O fato é que a tal moça, Aliaa Magda Elmahdy, desagradou até a oposição, que é apenas um tiquinho mais liberal do que a situação. Cá pra nós, se o criador - a considerar que exista um, para respeitar a premissa dos incomodados - se ofendesse com nudez, todo mundo nasceria vestido. Na verdade, desconfio que a esfinge se matou diante de Édipo porque ela própria não conseguiu decifrar esse bicho que de manhã tem quatro patas, ao meio dia tem duas e à tarde tem três.

2 comentários:

Anônimo disse...

Gostei da clareza e sinceridade que o levaram ao conhecimento dos fatos kkkkkk!

Paulo César Nascimento disse...

Ah, eu sou um homem da virada do século, quando gostar de mulher pelada (ao vivo e em fotos) não era motivo de embaraço. Abs

 
design by suckmylolly.com